Se você nunca teve seu cartão de crédito clonado, com certeza conhece alguém que já passou por essa situação. Seu cartão pode ser clonado ao utilizá-lo em caixas eletrônicos com os famosos “chupa cabras”, em maquininhas com chips que copiam os dados e, principalmente, devido a compras pela internet em sites fraudulentos ou devido a vírus e malwares (software malicioso que se infiltra no sistema de computador ou smartphone de outra pessoa).

A primeira coisa a fazer para avaliar um cartão de crédito clonado, é ficar atento à fatura. Analise compra por compra e se identificar alguma que não reconhece, significa que é possível que seu cartão de crédito tenha sido clonado.

Geralmente, é comum se descobrir o cartão de crédito clonado quando a pessoa percebe algum valor exorbitante na fatura, ou uma série de compras em lojas que desconhece.

Se isso já aconteceu com você, está mais do que na hora de tomar uma atitude! E se não aconteceu, é bom saber para se prevenir.

Veja abaixo o que fazer em casos de cartão de crédito clonado:

Meu cartão de crédito foi clonado, e agora?

Entre em Contato com o Banco: A primeira coisa a se fazer ao descobrir que seu cartão de crédito foi clonado é entrar em contato imediatamente com o banco e informar o que aconteceu. Fique tranquilo, o banco já sabe como lidar com essa situação, e esse processo é para ser seguro e simples. Se você teve seu cartão de crédito clonado, não terá de arcar com os valores das compras não reconhecidas e, infelizmente, a empresa que terá de arcar é justamente aquela onde a compra foi feita por terceiros.

Em casos de compra online, por exemplo, provavelmente a pessoa que fez a compra já recebeu o produto. Dessa forma, a empresa que vendeu o produto terá de arcar com o produto que já foi entregue e com o valor que foi debitado de você.

Solicitar imediatamente o cancelamento: O segundo passo é solicitar o cancelamento do cartão de crédito clonado. O banco vai fazer isso na hora par você.

Fazer um Boletim de Ocorrência: Como garantia, é fundamental que você realize um Boletim de Ocorrência em casos de cartão de crédito clonado. Não só para alertar a polícia, mas essencialmente para que você tenha uma defesa consistente e possa apresentar o documento, caso seja solicitado.

Reclamação no BACEN – Banco Central: Caso o banco/operadora não faça o estorno da fatura do cartão de crédito clonado, o que geralmente não costuma acontecer, você pode e deve fazer uma reclamação formal no Banco Central pelo telefone 145.

Ocorrência no Serasa: A orientação também consiste em acessar o portal do Serasa e preencher um formulário onde o consumidor relata a ocorrência de clonagem do cartão de crédito, evitando que seu nome seja incluído na lista de inadimplentes dos órgãos de proteção ao crédito, como o própria Serasa (o famoso nome sujo).

Já imaginou ter seu cartão de crédito clonado, averiguar uma série de compras que não foram feitas por você e ainda ter o nome sujo por conta disso?

Denúncia nos Órgãos de Proteção ao Consumidor – Procon: Se o banco ou a operadora do cartão de crédito não cancelar a compra e não realizar o estorno do seu cartão de crédito, chegou a hora de realizar uma reclamação em sistemas específicos, como o Procon e até mesmo no Reclame Aqui!, relatando o passo a passo de tudo que aconteceu e informando todos os protocolos de solicitação, bem como anexar o boletim de ocorrência.

Cartão de Crédito Clonado: Como evitar?

Para não ter surpresas no fim do mês e evitar um possível cartão de crédito clonado, a dica é tentar ao máximo evitar situações onde você acabe facilitando a clonagem do seu cartão de crédito.

Você não deve deixar de fazer compras online, mas pode utilizar um cartão de crédito virtual. Essa modalidade consiste em solicitar um cartão de crédito online ao banco, um cartão não físico, com números que mudam a cada dia ou até horas, afim justamente de evitar clonagem e uso de dados. Geralmente, é possível fazer essa solicitação pelo aplicativo. O número é enviado na hora.

Veja Também:
Máquinas de Cartão de Crédito: Guia Completo com todas as opções

Avaliar sempre se o site em que está prestes a finalizar uma compra online possuem selos de segurança e certificados SSL.

Selos de segurança são literalmente selos, uma imagem no site, que garante que aquele site é real e consiste em uma empresa. Ao clicar nesse selo, que geralmente fica no rodapé do site, é aberta uma página com o nome, contato, endereço e CNPJ da empresa. Exemplos são: Site Blindado, Norton Secured, Comodo Secure.

Já o certificado SSL é um cadeado que aparece no navegador para indicar que o site é seguro. Você facilmente pode verificar essa informação, ao analisar a url do site.

Ela precisa começar com https://. Por exemplo: https://www.site.com.br. Se na url constar apenas http://, o site não é considerado 100% seguro para efetuar compras online e pode sim acontecer de ter o seu cartão de crédito clonado.

Uma opção bem prática é avaliar a reputação do site no Reclame Aqui! Avaliar as reclamações podem te dar um norte sobre as procedências do site.

Já em locais físicos, como caixa eletrônico, verifique a boca do caixa, aonde você insere o cartão. Veja se está seguro e firme e se não há nada de errado antes de utilizar o local. Procure utilizar caixas eletrônicos de shoppings que são monitorados pela própria segurança do shopping.

Infelizmente, às vezes você seguirá cada etapa dessas dicas e ainda terá seu cartão de crédito clonado.  Estamos sujeitos a passar por isso.

Neste caso, já sabe! Fique de olho na sua fatura e em qualquer suspeita de cartão de crédito clonado, ligue imediatamente para o banco.