No mercado de crédito nacional, as dívidas de cartão de crédito com certeza são as que possuem maior impacto financeiro na vida das pessoas, seja por conta da facilidade que são adquiridas, ou do descontrole sobre os gastos dos usuários dos cartões de crédito. Somadas as taxas de juros altíssimas dessa linha de crédito são uma verdadeira bomba no orçamento.

Se você está com dívidas ou com problemas financeiros, saiba que o cartão de crédito é a pior forma de crédito disponível para efetivar parcelamentos de dívidas ou então atrasar pagamentos, portanto vamos dar algumas dicas para evitar esta situação e também sair dela caso você já esteja endividado em alguma linha de cartão de crédito.

Como evitar as dívidas no cartão de crédito

Antes de explicar o caminho de resolver as dívidas é muito importante saber evita-las para que este problema não volte a acontecer e você consiga evitar ao máximo esta situação.

1.      Acompanhe os seus gastos no cartão de crédito diariamente:

Se você deixa para conferir os seus gastos apenas na chegada da fatura de seu cartão, saiba que esta é uma das principais formas de perder o controle. A utiliza do cartão facilita muito o dia a dia, e muitas vezes acabamos nem lembrando onde ou quantas vezes utilizamos o cartão durante o mês.

O acompanhamento diário, ou pelo menos semanal, permite que você tome as rédeas da situação antes que os gastos ultrapassem sua renda.

A maioria das operadoras de cartão de crédito disponibilizam aplicativos ou mesmo plataformas na internet que permitem acompanhar os gastos de maneira simples e prática.

2.      Considere o seu limite utilizado como uma dívida:

Uma das formas mais fáceis de contrair uma dívida no cartão de crédito é a soma de compras parceladas, a facilidade de parcelar compras em 10, 12 vezes, faz com que o peso do valor total da compra seja diluído para o comprador, porém é muito importante sempre considerar que independente do parcelamento, o valor total será pago.

Além disso, muitas pessoas acabam esquecendo que já possuem outras compras parceladas e vão acumulando parcelas, chegando as vezes em um ponto que a soma das parcelas torna incompatível o pagamento com a renda da pessoa.

3.      Evite atrasar faturas:

As taxas de juros cobradas por atraso na fatura do cartão de crédito são as maiores do mercado entre todas as linhas de crédito, portanto não atrase a fatura, o custo disso é muito elevado.

4.      Não utilize o pagamento mínimo:

As operadoras de cartão de crédito possuem uma ferramenta muito atrativa quando estamos com o dinheiro apertado, que é o pagamento mínimo de fatura, valores bem menores que os gastos para considerar a fatura em dia. Saiba, porém, que essa é uma das maiores armadilhas, os juros cobrados sobre o saldo restante são praticamente os mesmos do que se tivesse atrasado sua fatura.

5.      Não utilize o parcelamento de fatura:

Outra pegadinha é o parcelamento de fatura, imagine que na sua fatura já existem compras parceladas e a operadora do cartão de crédito permite que você parcele ainda o saldo de sua fatura em mais algumas vezes. Saiba que os juros cobrados na operação são altíssimos e com certeza a conta vai sair muito cara para você.

 

LEIA TAMBÉM:
Saia do vermelho: Como quitar a sua dívida com cartão de crédito rapidamente

 Como negociar as dívidas do seu cartão de crédito

Se você já possui dívidas em seu cartão de crédito a primeira coisa que deve ser feito é um esforço imediato para quita-la, desta forma você conseguirá reduzir bastante os juros cobrados em sua dívida e terá um folego maior para resolver sua situação.

Caso você tenha qualquer tipo de reserva de emergência ou recurso aplicado ou investido, utilize-o para quitar a dívida do cartão de crédito, com certeza os juros cobrados por atraso são maiores que qualquer rendimento financeiro comum.

Se você não possui outra fonte de recurso para quitar a sua dívida, o melhor caminho é encontrar no mercado alguma linha de crédito que possua taxas de juros mais baixas, normalmente são indicados linhas de crédito pessoal com boas garantias, como empréstimo com garantia de imóvel, empréstimo com garantia de automóvel, ou então crédito consignado por exemplo.

Com uma linha de crédito mais atrativa, será possível alongar o prazo da dívida com juros muito menores do que os oferecidos pelas operadoras do cartão de crédito.

O segundo passo após conseguir o recurso é negociar com a administradora do cartão de crédito a quitação da dívida, sempre negocie, é possível em muitos casos onde será feito o pagamento a vista, reduzir um pouco os juros e multas cobrados no período, que muitas vezes podem inclusive ultrapassar os valores efetivamente gastos nas faturas.

Após resolver a dívida é muito importante fazer um bom planejamento financeiro, para honrar com o compromisso financeiro e evitar que isto ocorra novamente.