O consórcio é uma modalidade de conseguir crédito para conquistar um bem, seja ele um imóvel, um veículo, a mobília para sua casa, eletrodomésticos entre outros. Quando você pretende realizar a compra de um imóvel, por exemplo, e não tem o dinheiro para realizar o pagamento à vista, você tem duas opções: ou realiza um financiamento, ou faz um consórcio.

Em termos gerais, o consórcio é um grupo onde pessoas se reúnem com o objetivo comum de comprar/adquirir um bem. E para isso, precisam de um crédito. No consórcio, esse crédito é chamado de carta de crédito. Mensalmente, esse grupo arca com uma parcela e pode ser contemplado em sorteios e com lances mensais. Para que tudo corra bem e dentro dos conformes da lei e do Banco Central, é necessário que haja uma administradora por traz. É essa administradora que irá realizar todo o controle do grupo.

Entre as vantagens de realizar um consórcio, está, principalmente, a ausência de taxa de juros. Ou seja, realmente é uma modalidade que não tem juros. Isso porque essa modalidade funciona como um autofinanciamento, onde um número de pessoas se junta em um grupo para juntar recursos e conseguirem adquirir seu patrimônio.

Sendo assim, como sobrevive um consórcio? Qual o lucro? Embora não tenha taxa de juros, há uma taxa administrativa, cobrada pela administradora. Essa taxa é diluída nas parcelas. Mas geralmente costuma ser menor do que o financiamento, por exemplo.

Agora que você já sabe o que é e como funciona, vamos entender qual o melhor momento para entrar em um grupo e começar a arcar com as parcelas.

Quando fazer um consórcio?

Há várias opções onde você pode acabar decidindo por fazer um consórcio. Mas sempre existe aquele frio na barriga e a dúvida: será que é melhor momento para solicitar?

Essa dúvida é comum e vou te ajudar com ela.

Primeiramente, você precisa avaliar se possui um objetivo. Muitas pessoas acabam entrando em um grupo por ouvirem dizer que se trata de uma ótima opção de investimento. O consórcio não é um investimento. O que ele te proporciona sim, pode ser. Por exemplo, em um consórcio de imóvel, o consórcio irá te possibilitar conquistar um imóvel. E o imóvel sim é um investimento. Dessa forma, é preciso ter bem claro qual o seu objetivo para não entrar apenas por entrar e se arrepender depois.

Se você almeja adquirir um bem e pode compra-lo à vista, você não precisa de um consórcio. As vantagens para pagamento à vista são muito melhores e você pode conseguir um bom desconto com isso.

O consórcio é uma modalidade onde as pessoas entram com o objetivo de conquistar algo e não possuem dinheiro para compra-lo. Se esta é a sua situação, pode começar a pesquisar sobre essa modalidade.

Outra opção que deixa claro o momento para entrar em um grupo, é quando você pensa em adquirir um imóvel, não tem pressa para receber as chaves e não quer pagar uma taxa absurda de juros, o que totaliza quase o dobro do valor do imóvel. Com certeza é uma situação clara onde essa opção é de fato a mais vantajosa para você.

Se você possui FGTS, também pode investir em consórcio. Isso porque é possível utilizar seu FGTS como lance, o que contribui para que você seja contemplado mais rápido.

Se você tem dificuldades para montar uma poupança, o consórcio também pode ser uma opção para você, já que você terá que obrigatoriamente arcar com uma quantia mensal. Dessa forma, ao invés de colocar na poupança e gastar depois, estará depositando o valor em prol de uma aquisição. Ou seja, amenizando as chances de “jogar dinheiro fora” gastando com bobagens.

Mas a grande questão que te dará a confiança necessária para dar o próximo passo é se informar, tirar todas as dúvidas. Só assim poderá avaliar se vale a pena para você ou não. E você pode começar agora, solicitando uma simulação com especialistas. Basta clicar em: Solicitar Simulação de Consórcio. Boa sorte 😉