O test drive possibilita ao comprador a avaliação prática do veículo, de como o carro se comporta no trânsito e oferece uma sensação real do seu desempenho. Quando se trata de um usado, a atenção deve ser ainda maior, podendo vir a indicar também o estado de conservação e tipo de uso a que foi submetido o carro antes de você colocar as mãos nele. Então, para não ter dúvidas na hora da compra, não fique com receio de exigir o test drive, e de exigir que o veículo passe por buracos, lombadas e ruas irregulares, que são muito comuns no Brasil; teste o carro em diferentes terrenos, e também na autopista; observe se não há problemas na suspensão ou no desempenho do motor do carro.

VEJA COMO FAZER TEST DRIVE

Fique atento a possíveis problemas de estrutura do veículo, empenamentos e torções na sua estrutura; observe se os pneus estão sendo consumidos uniformemente; observe como se comporta a direção; se o carro canta pneus muito facilmente nas curvas; se o câmbio funciona perfeitamente sem travar na hora de passar as marchas (procure andar com todas elas); verifique se o pedal da embreagem não está muito alto e se a transição de marchas é suave, e analise como a embreagem se comporta nas subidas; teste os freios e o freio de mãos; e fique atento a ruídos e vibrações incomuns.

Na dúvida, ou em caso de possuir pouco conhecimento sobre carros, leve um mecânico de sua confiança para te acompanhar no test drive e avaliar as condições e funcionamento do carro usado. Se não conseguir levar um mecânico leve um amigo ou parente mais entendido no assunto para ajudar. No caso de carros usados, é interessante analisar o estado de conservação de detalhes internos do carro e que podem custar caro depois, tais como:

O estado de conservação de plásticos:

especialmente em itens importantes, como nas alavancas das setas e nos botões diversos, nas próprias setas e por todo o painel, assim como nas portas, e em outras alavancas importante, como as que acionam o porta-malas e o capô do carro) e revestimentos (estofado do banco e revestimento do painel e das portas); averiguar se o estofado dos bancos e se sua conservação em geral está boa; se itens como capota marítima, tampões, estepe, ferramentas originais do veículo, itens de segurança, e também rodas (se são originais, e se virão junto na compra);

A presença e qualidade de itens básicos e dos acessórios:

Veja se itens adicionais, como som não embutido, vêm junto na compra. Se possível teste o consumo de combustível e averigue se o veículo está esquentando ou exalando algum odor de queimado; além disso, é bom averiguar se as funcionalidades do veículo estão normais, como regulagem de bancos, acionamento de portas por botões, câmeras de ré e retrovisores ativos com câmeras, piloto automático de velocidade e de estacionamento.

Não se esqueça de testar o funcionamento do câmbio automático em todas as suas funções, inclusive as manuais; averiguar as opções de reduzida para carros traçados; olhar o carro por baixo; olhar a aparência do motor e das peças da frente; conferir se nenhuma luz de alerta do painel está acesa etc.

Mais importante: Pondere e não tenha receio de analisar com calma o carro durante o test drive para não se arrepender da compra.

TAMBÉM PODE TE INTERESSAR:

Test drive: Dicas para fazer um test drive eficaz